Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010
Mudo, logo Sou.

Durante 8 anos acordei de madrugada. Acordei num silêncio total e furei o dos outros. Durante 8 anos diverti-me a ver o dia chegar mais cedo para mim. Sentia a manhã por estrear, via o céu em primeira-mão. Andava num caminho deserto, conhecia as pessoas que esperavam os transportes públicos, ensonadas, umas por lavar outras lavadas em perfume. Agora acordo com uma chinfrineira infernal. Ainda hoje, por exemplo, acordei com uma serenata feita por estudantes em altura de praxe. Cantavam "A mulher gorda" e "Só eu sei por que não fico em casa". Pensei que isto assim era outra coisa, acordar com serenatas. Fui ver. Não era para mim. Agora consigo ir com boa cara para o trabalho. Lavo o cabelo e seco-o. Ponho rímel e eyeliner. Já não me apetece ir de pijama nem de rolos na cabeça. Já não tenho olheiras. Vejo filmes até às 2 da manhã, deitada, e não adormeço ao fim da primeira cena. Troquei de lado na cama, durmo do lado do que acorda mais tarde. Já não dou o beijo matinal de dentes lavados, agora recebo-o. Continuo a dizer umas parvoíces de manhã. Aos meus gatos. Eles bocejam, viram-se para o outro lado e continuam a dormir. São um público reles, estes meus gatos. Tenho saudades do meu público matinal, de imaginar despertares estremunhados a não perceberem muito bem o que se diz do outro lado do rádio. "O que é que ela disse? É louca, vou mas-é-fazer torradas". Há 10 anos mudei de cidade. Hoje mudo o meu dia. E o mundo, o dos outros, continua igual.


Tags:

publicado por Menina da Rádio às 16:57
link do post | comentar | ver comentários (5) | partilhar


Pesquisar
 
Posts recentes

Mudo, logo Sou.

Mais comentados
5 comentários
Arquivo

Agosto 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Tags

todas as tags

blogs SAPO
Subscrever